2.4.06

Grémio Literário


Há no Grémio Literário sócios que são descendentes de sócios fundadores. Ora Luiz Augusto Rebello da Silva foi sócio fundador daquela agremiação. Quanto aos descendentes é só ir aqui. No meu caso dá-se esta coisa estranha. Não sei sequer se descendo dele e até agora não tive curiosidade suficiente para saber. O Grémio Literário orgulha-se de ter 159 anos de cultura liberal. Um dos seus fundadores foi Almeida Garrett, o que quer dizer alguma coisa, outro Alexandre Herculano, o que quer dizer muito mais. Para que não haja equívocos, também não sou sócio do Grémio Literário: não é que me falte cultura liberal, talvez me falte é cultura literária, na variante gastronómica.

6.3.06

Rebelo da Silva, visto por Bordalo

Devo à Anamaria a gentileza de me haver encontrado este desenho do Rebelo da Silva feito pelo Rafael Bordalo Pinheiro. Bordalo caricaturou grande parte da sua geração literária, sendo seu o célebre Herculano azeiteiro, retirado no desespero de Vale de Lobos. Poucos reagiram mal, como notou Joaquim Leitão.

4.3.06

O diabo da arte no corpo

«Lá se foram já, em pouco tempo, uns depois dos outros, todos esses: o Túlio, o Felner, o Rebelo, três dos literatos mais genuinamente literários que eu tenho conhecido. Tinham o diabo da arte no corpo. Tinham o amor das letras na massa do sangue. Haviam-se temperado como escritores na poderosa camaradagem de Garrett (...)». Ramalho Ortigão, escreveu isto em «As Farpas» [Janeiro de 1884, edição Corazzi, tomo III, pág. 44 e ss., in "Paladinos da Linguagem", 1.º vol., Aillaud e Bertrand, Lisboa, 1921].O Rebelo era o Rebelo da Silva. O resto pode ler-se aqui.

A Casa da Joaninha


Luiz Augusto Rebelo da Silva viveu numa quinta afamada, Quinta do Desembargador ou Quinta das Rebelas, visitada por Garrett e Herculano. Era a «Casa da Joaninha», de que se fala no inocente «Viagens na minha Terra», cuja primeira edição foi publicada pela Tipografia da Gazeta dos Tribunais, em 1846. Um generoso amador arquivou esta informação no «Dicionário Vale de Santarém-Português», local curioso dedicado à terminologia do Ribatejo. Com a morte do historiador, e com as partilhas entre os descendentes o local foi-se degradando. Em 1990 um incêndio fez o resto. Hoje está assim, um símbolo do que resta.

28.1.06

Começa hoje


Viveu 50 anos, escreveu 41 livros. Este blog vai-lhe dedicado. Começa hoje. Vai sendo pensado, à medida que for escrito.
Chamo-me, José António Rebelo da Silva Barreiros, tenho 56 anos de idade.

View My Stats